É bem verdade o que nos diz a canção!

No âmbito do Estudo do Meio, os alunos do 3ºB da Escola Básica da Senhora da Piedade estiveram a estudar a sua localidade e as suas personalidades. Depois de investigarem sobre algumas das suas praças, ruas e edifícios chegou a vez das personalidades. Das que já não fazem parte deste mundo como Afonso de Paiva, Amato Lusitano, Manuel Vaz Preto, Eugénia Lima a outras que se encontram entre nós e que têm feito um trabalho reconhecido cá dentro e lá fora como Ana Hormigo, António Salvado, Luís Diogo e António Ramalho Eanes entre outras. Mas, quisemos saber mais pelo que demos um passeio pela cidade, terminamos no Centro de Interpretação do Bordado de Castelo Branco, um dos produtos mais famosos da nossa região e futuro candidato a Património Imaterial da Humanidade.

No final da visita não faltaram os autógrafos das nossas famosas bordadeiras.

De todo este trabalho os alunos puderam constatar que a nossa cidade está repleta de bonitos espaços e que foi berço de gente muito importante e que jamais será esquecida.

Na sexta-feira, 26 de janeiro, a aula de Expressão foi no CCC de Castelo Branco. Os alunos do 3º B da Escola Básica da Senhora da Piedade foram ver a exposição "Corpo, Abstração e Linguagem na Arte Portuguesa”, obras da Coleção da Secretaria de Estado da Cultura (SEC) em depósito na Fundação de Serralves.

Iniciamos a visita com a audição do livro “O Museu” de Susan Verde e Peter H. Reynolds, um interessante livro sobre as emoções que nos transmitem as obras de arte. Mas, enquanto ouvíamos, o Vasco estava a observar a obra Mulher Rubensiana de José de Guimarães. Quando regressou descreveu-nos a obra de uma forma tão precisa que saíram trabalhos bem interessantes.

Após esta atividade, cada aluno escolheu uma palavra, colou-a na sua roupa e foi observar as cerca de 30 obras da exposição. Uma observação profunda pois tinham que associar a palavra que tinham a uma obra de arte. Uma atividade muito interessante e muito participada, cada aluno soube explicar muito bem a associação da sua palavra à obra.

Estes meninos (as) são uns artistas.

2017.12.20 Festa Natal Sr Piedade

 

 

 

Apesar de os tempos mudaram, de vivermos num mundo conturbado, esta ainda é a festividade que mais une. Nesta altura, tornamo-nos mais humanos, mais solidários em suma mais felizes.

O dia da nossa festa de Natal foi um dia de alegria, partilha, amizade e muito amor.

Como diz a canção O NATAL É A FAMÍLIA, A UNIÃO, O AMOR.

Dia 14 de dezembro, o diretor do Agrupamento 2017 12 14 reserva biosferade Escolas Nuno Álvares, o Coordenador da Escola Cidade de Castelo Branco e a professora Emília Pina entregaram à aluna do 5º E, Sofia Kazak, o prémio do Concurso do logotipo da Reserva da Biosfera do Tejo Internacional, atividade com a qual terminou o anterior ano letivo o Projeto eTwinning.

No dia 23 de novembro e numa cerimónia com a Diretora Provincial de Educação de Cáceres, o Presidente da Junta Rectora da Reserva da Biosfera, o representante da Diputação Provincial de Cáceres e o Presidente do Ajuntamiento de Cedillo, leram a ata do Júri, que atribuiu a esta aluna do nosso Agrupamento o 1º prémio.

À Sofia os nossos parabéns.

A oliveira, árvore bastante antiga, foi implementada2017.11.16 Apanha-azeitona-SP na Península Ibérica pelos Árabes no século VIII. Na nossa região as referências à plantação de oliveiras datam do século XIV e é no século XVI que o seu cultivo sofre um grande impulso na sequência da utilização do azeite na iluminação.

Hoje, esta árvore está na moda e faz parte do embelezamento arquitetónico de espaços públicos, jardins, casas, edifícios... A nossa escola não foge à regra, e como tal tem no seu pátio traseiro cinco lindas oliveiras. Este ano, os alunos do 3º ano decidiram colhê-la recriando uma atividade tão importante na economia familiar dos pequenos agricultores. Assim e depois de contactarem com alguns materiais utilizados em tempos passados meteram mãos à obra. E que obra! O trabalho rendeu mais de 200 Kg.

No final, depois de ensacadas as azeitonas recolhidas foram levadas ao lagar de azeite de António Gaspar Batista, na zona industrial de Castelo Branco. A este empresário e à D. Maria da Conceição, que nos emprestou os materiais necessários, o nosso muito OBRIGADO, sem eles este trabalho não teria sido possível.

Aprender brincando, convivendo, descobrindo o mundo que os rodeia, é esta a escola que queremos para os nossos alunos.